sábado, 26 de abril de 2014

In memoriam - 45 anos de morte do Sensei Morihei Ueshiba

Hoje, dia 26 de abril de 2014 completam exatos 45 anos de morte do Sensei Ueshiba.
Um exemplo de vida e de líder marcial, Sensei Ueshiba foi um marco nas artes marciais, por ter conseguido unir de forma incontestável, a eficiência que toda arte marcial deve ter com a suavidade, a leveza, a harmonia.
Sensei Morihei Ueshiba, após anos de dedicação e estudo, tanto marcial, quanto espiritual, substituiu a brutalidade pelo uso da energia, a pancada pela condução do parceiro, o parco objetivo de derrotar e vencer o adversário pelo supremo e real objetivo de todo praticante marcial:  VENCER A SI MESMO!  
Devemos a esse mestre, a existência dessa arte marcial tão simples e ao mesmo tempo tão complexa, tão forte e eficiente e ao mesmo tempo e ao mesmo tempo, tão sutil e suave...
Graças a ele, estamos hoje aqui, falando em seu nome, no mundo todo!
Por isso, só tenho a dizer em nome de todos os praticantes de AIkido:

DOMO  ARIGATO  GOZAIMASHITA !!!

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Vamos treinar na Aizen Niterói?


Esse é o primeiro vídeo oficial da Academia Aizen Niterói, ministrada pelo Sensei Antonio Araujo, 5º Dan, do grupo Shikanai.  
Além de contar com uma atmosfera familiar, de muita amizade e companheirismo, temos o privilégio de aprender a cada dia, uma nova lição com o Sensei Antonio!   
Venha conferir!  
De segundas a quintas, às 20h, 
Rua Lopes Trovão, 117
Telefone: 2710-2319 

Parabéns ao Sensei Antonio Araujo pelo 5º Dan!!!!

É com muita alegria e orgulho, que informo aos caros amigos, que o Sensei Antonio Araujo, responsável pela Academia Aizen Niterói há quase 30 anos e pela formação de inúmeros shodans, recebeu com todo o mérito, a graduação de 5º Dan do Sensei Ichitami Shikanai!

Parabéns Sensei! Sua história no Aikido é repleta de conquistas, dedicação e idealismo!


Que sua jornada continue sendo um exemplo para nós, seus alunos e para todos aqueles que percorrem esse lindo caminho chamado Aikido! 


Segue o link da publicação da graduação,  no site da Aikikai.


http://www.aikikai.or.jp/jpn/info/2014/h26.pdf


Um abraço a todos! 








quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Novo Livro de Aikido no Brasil


É com imensa alegria que anuncio a publicação do meu livro sobre Aikido. Há muito que gostaria de compartilhar com meus amigos, essa incrível jornada chamada Aikido. Tudo que aprendi, meus erros e desafios, conquistas e vitórias que ainda estão por vir, os preciosos detalhes que tanto fazem a diferença nas técnicas, são contadas de uma forma romanceada no livro. O livro aborda também a filosofia da arte sob um prisma diferente, enfatizando as analogias existentes entre as situações vivenciadas no Dojo e no cotidiano da nossa vida.  Queria fazer algo diferente, pois sentia falta de um livro sobre Aikido que não fosse apenas técnico, explicativo ou com mil e uma fotos apenas. Bom... Espero que gostem! 
ficção. Quem quiser adquirir, basta clicar no link abaixo:

domingo, 8 de setembro de 2013

Mitsugi Saotome - The Principles Of Aikido-1

Nishio Aikido - Vol. 4 (Shomenuchi 2)



Estudo sobre Shomenuchi

Aikido O Sensei Morihei Ueshiba Divine Techniques 1962 1969


Uma pequena preciosidade para vermos sempre!

AIKIDO O ESPIRITO DE SAMURAI

ICHITAMI SHIKANAI SHIHAN



Mais uma valorosa contribuição do nosso Shihan Sensei Shikanai! Pura técnica, suavidade e eficiência!

ICHITAMI SHIKANAI SHIHAN


Como é bom um grande Mestre como Sensei Shikanai, demonstrar os preciosos passo a passo que tanto enriquecem o Aikido e nos faz melhorar cada vez mais, como praticantes e como pessoas. Arigato Sensei Shikanai!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Hajme Satori - blog sobre Aikido



O Hajime Satori é um blog que se destina a discorrer profundamente sobre as principais questões do Aikido, como a  sua filosofia, prática, e os desafios que os praticantes enfrentam em sua rotina diária de treinos.
Será um canal aberto para dúvidas, atualizações de técnicas, experiências pessoais, divulgação de 
eventos a serem realizados e claro, contribuições em geral  de quem gosta da nobre arte. 

Sejam todos muito bem vindos!

Domo arigato Gozaimashita!

Nova turma na Academia Aizen

É com grande alegria que informo meu retorno às atividades.
Após o convite do meu Sensei Antonio Viana, o qual aceitei com muita satisfação, volto a dar aulas de
Aikido após a extinção do Hajime Satori Dojo, onde ministrei as aulas por quase 1 ano.
A nova turma já está disponível às quartas e sextas, das 7:30 às 8:30h.
Para maiores informações, favor entrar em contato com Sensei Antonio, responsável pela Academia Aizen Niterói, através do telefone 2710-2319 ou se preferir, dê uma passadinha na Academia para desfrutar de um ambiente harmonioso e amigável para assistir uma aula.
A Academia Aizen Niterói localiza-se na Rua Lopes Trovão, 117 - Icaraí , Niterói.
Não vamos perder tempo! O importante é treinar, treinar e treinar!


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Aikido - Duas décadas de treino




Parece que foi ontem...
Parece que foi ontem que o Marcelo, um amigo de faculdade, me sugeriu ler um livrinho amarelo chamado
Aikido, o caminho da sabedoria.
Minha vida a partir daí, mudou para sempre.
Ainda me vejo subindo as escadinhas da academia, curiosa para assistir um treino de uma arte da qual nunca havia ouvido falar...
Foi num dia 5 de novembro de 1992 que tudo começou...
De lá pra cá, muita coisa aconteceu...
Muitos embates foram travados. A maioria , eu comigo mesma...
Mas nada se compara à experiência de ter descoberto muito mais do que uma arte marcial, na qual se aprendem golpes, quedas e nomes em japonês.
Aikido é uma filosofia de vida, de alma...
Nunca pensei que fosse chegar tão longe... eu , que mal sabia rolar...
Nunca pensei que fosse me deparar com tantos aspectos do meu próprio ego... aspectos esses que só podem ser constatados no sagrado solo de um dojo.
As dificuldades foram imensas.
As vitórias, significativas, profundas e eternas.
O verdadeiro guerreiro caminha em paz, serena, silenciosa e sabiamente pela estrada da vida.
O verdadeiro guerreiro pondera, silencia e age quando tem que se manifestar.
Somente o Aikido pode propiciar ao buscador, respostas claras e sólidas que somente podem ser encontradas na ausência da guerra e na presença da harmonia, alicerce essencial do Aikido.
Aprendi a não lutar.
Aprendi a aceitar.
Aprendi a me conectar com o meu próximo.
A conexão é a chave para o livre caminho da energia.
20 anos se passaram. Cheios de magia, alegrias, dor, fracassos e a perene vitória que luto para conquistar todos os dias: a vitória sobre mim mesma.
Que venham mais 20 anos! Se a vida assim me permitir!
Domo Arigato gozaimashita!

sábado, 26 de novembro de 2011

sábado, 3 de setembro de 2011

Ensinamentos secretos de Morihei Ueshiba

Obra obrigatória para todos os praticantes da arte que aspiram desvendar a essência do Aikido, Os Ensinamentos Secretos do Aikido, do Sensei Ueshiba, traz ensinamentos profundos, tanto filosóficos e místicos, quanto práticos propriamente ditos, que abrem os olhos do praticante para detalhes que farão toda a diferença na aplicação da técnica. Senti-me, como estudante do Aikido,no dever de  transcrever, as pérolas desveladoras presentes nesse inesquecível livro! Espero que os ensinamentos abaixo, contribuam em muito, tanto na vida pessoal do amigo leitor, quanto no dojo! 


As citações não poderiam deixar de serem iniciadas com o famoso e talvez mais completo lema do Doshu: Masakatsu agatsu katsuhayabi - A verdadeira vitória é sobre nós mesmos, aqui e agora!


" Com relação aos movimentos do corpo, eles são como o movimento da onda do mar - quando ela está no seu apogeu. Quando um ataque chega, ele se torna yang e reverbera. A inspiração é um ato dinâmico em que você enche todo seu ser com a respiração sutil. A expiração é expelir energia da origem divina. Mantenha seu espírito focado no ataque. Unifique-se com ele. "


"No Aikido, antes que um oponente possa tomar uma posição sólida, defrontando-nos, precisamos absorver completamente seu espírito."


"No Aikido, as técnicas mudam constantemente, visto que a mudança e a adaptabilidade  são uma parte essencial do Aikido. Estou sempre treinando e estudando com essa atitude, alterando constantemente as técnicas de acordo com as circunstâncias. No Aikido não existem formas. É um erro deixar-se aprisionar por formas. Agindo assim, não é possível responder com a sutileza necessária."


" As técnicas estão limitadas a circunstâncias específicas e seu foco é muito limitado. Se o espírito está completamente receptivo, pode-se ajustar a qualquer circunstância; assim, não existe necessidade de estabelecer formas."


" No Aikido, nunca focamos as mãos de nosso oponente. Olhe além da forma física. "


" O Aikido é a incorporação do amor."


" O verdadeiro Budo é invencível porque ele não disputa com nada. A vitória significa derrotar de modo completo a mente conflituosa inerente a ela. "


" O Aikido nos conecta com o mundo além da forma."


" O Aiki pode ser explicado como a interação do triângulo com o círculo e o quadrado. Um círculo com um ponto no centro representa a imobilidade e o desenvolvimento do espírito. É o fluxo circular que cria uma miríade de técnicas. O quadrado representa as transformações ilimitadas. O triângulo gera o poder do Ki, e a posição triangular é a invencível postura do guerreiro. "


" O corpo é um triângulo; o círculo está no centro exato. Essa força sustenta a vida e conecta o vazio com a forma. O Aikido liga o vazio e a forma ao amor. "


" Controle seu oponente sempre se mantendo em um lugar seguro e que não possa ser atacado. "


" Você deve encontrar o lugar onde o vazio ( shinku no ki ) e o não preenchido ( ku no ki) se localizam. O universo é cheio de vazio. O não preenchido possui a suprema energia que ativa a matéria. Se você se liberta dos elementos mais pesados e conecta os seus movimentos com o vazio, técnicas eficientes irão surgir. Impregne todo o seu corpo com o vazio e limpe sua alma. "


" Alterações sutis em sua respiração lhe permitem executar livremente as técnicas. "


" Se o oponente atacar com fogo ( yang ) você neutraliza o ataque com água ( yin ); se o oponente atacar com fogo, conduza-o se tornando água para engolir e absorver o ataque tornando-o inofensivo. Funda sua respiração com o ataque. Esse é o estado de não eu. "


" Se seu parceiro quer puxar, a intenção de puxar  surge antes de a ação se manifestar; antecipe qualquer ataque e torne-o inofensivo com a resposta apropriada. Aikido é a capacidade de perceber inadequações. "


" As técnicas de Aikido nunca são rígidas ou duras, elas são adaptáveis  e fluem livremente. "


" No Aikido  de Ueshiba não existem inimigos. É um erro considerar alguém um oponente ou inimigo, ou querer ser mais forte que qualquer pessoa, ou pensar em derrotar alguém. No verdadeiro Budo, não existem oponentes ou inimigos. "


" Para compreender o Aikido, primeiramente desenhamos um círculo. Quando um círculo é feito, ele cria uma esfera de influência. Se você traz o oponente para essa esfera de influência, pode projetá-lo apenas com um dedo. As técnicas consistem em movimentos circulares combinados. Sinta os movimentos técnicos através do seu corpo e mantenha seu espírito circular. O círculo é completamente vazio, um nada de onde surgem todas as coisas. O círculo permite possibilidades ilimitadas de controle. "


" Focar um oponente é ser imediatamente derrotado. A técnica e o Ki devem ser uma unidade. "


" No Aikido não lutamos ou disputamos para vencer. Saímos vitoriosos pelo fato de não lutar. É o princípio da não resistência. É ser vitorioso sobre si, vitorioso em realizar sua missão na vida. É o treinamento  em Masakatsu agatsu katsuhayabi, para avançar ao longo da trajetória universal. É preciso praticar continuamente até que você perceba a sua bondade natural, sua verdade inata. "


" No Aikido, nunca atacamos. O ataque prova que não se está confiante da vitória, que já se está derrotado espiritualmente.  Nunca forçamos um oponente de um modo não natural. Utilize o poder descontrolado do ataque para retornar a violência para o próprio atacante; deixe-o ser derrotado em sua própria proposta. Quanto mais violento e  descontrolado é um ataque, tanto mais fácil é controlá-lo.   VENCEMOS AO NÃO LUTAR. "


" Nunca evite um desafio. Não tente controlar  ou restringir seu oponente de modo não natural. deixe seu oponente  fazer o que ele desejar. O Aikido  é conectar-se com o Ki. "


" Não dê aos seus oponentes nenhuma oportunidade para dominá-lo. Diante de qualquer desafio, permaneça calmo, centrado e otimista. Guie seus oponentes para um caminho melhor e fique sempre atrás do ataque. Suas técnicas devem ser tão rápidas quanto um relâmpago. Não importa se existe ou não um oponente. Apenas execute os movimentos que você pratica diariamente em seu treino. A maneira pela qual você se movimenta criará a sua técnica. Funda-se com o seu oponente, mova-se em conjunto com ele. "


" Desenhe um círculo imaginário tendo o seu próprio centro como o ponto central. Sempre permaneça no centro. O movimento circular é a chave. Crie sempre uma técnica que tire vantagem do ponto fraco do oponente. Perceber uma abertura na defesa de seu oponente é sempre a chave do Budo.  O verdadeiro budo não serve para destruir o oponente, mas para desarmar um ataque espiritualmente fundindo-se com os movimentos dele e fazendo-o desistir de bom grado de sua agressão. "


Segue abaixo a meditação que O sensei sempre fazia para unir-se à natureza e sentir o Ki espiritual. 


" Vamos nos sentar em seiza. Contemplemos nosso corpo do nariz até o umbigo. Abra as narinas, perceba como o universo funciona - o cheiro, a cor, o fluxo da energia. O dedão do pé esquerdo deve tocar o dedão do pé direito ( o esquerdo simboliza izanagi e o fogo, e o direito, Izanami e a água. Junto eles formam um só corpo).  Somos os filhos espirituais desses dois deuses da geração. O verdadeiro budo ilumina o mundo do espírito. Até agora, o budo vem sendo considerado o mundo físico, e é por essa razão que existe constante estado de guerra. Junte seus dedos em um mudra 
( gesto ritual) universal e feche os olhos. Aquiete sua mente e corrija sua forma. Respire profundamente e junte toda a essência sutil do universo. Inspire o universo e una-se à criação. Siga os ditames da natureza. Você irá sentir o Ki subir e irá experimentar uma sensação de calor. Seu corpo ficará cheio de Ki espiritual. "


Por fim, as palavras finais do Sensei:


" O Aikido não tem limites. Tenho agora 76 anos, mas continuo  a treinar. Nosso dojo  é todo o céu e a terra. O caminho da prática  não tem fronteiras, não tem fim. O treinamento é uma prática para toda a vida. É ilimitado. Acredite no Aikido; faça do Aikido sua morada. Cuide com carinho do céu e da terra. Ame todas as coisas. Essa é a nossa missão, o objetivo de treinar o Aikido."


Devemos ler e reler quantas vezes forem necessárias tais ensinamentos... A cada vez que relemos, algo se desvela à nossa frente... A circularidade, a antecipação, a absorção do movimento, a não resistência... Desejo a todos, uma profunda meditação seguida de uma ardorosa aplicação sobre todos esses ensinamentos fundamentais do Grande Sensei Morihei Ueshiba!

sábado, 23 de julho de 2011

Compartilhando experiências...



Osae-Waza ( técnicas de imobilização )

“Como um ramo vergado pelo vento.”
Por T. Ishihama
(disponível em http://www.niagara.com/~zain/html/daitoryu.htm)
Traduzido por Anderson.
Há uma antiga citação atribuída a um professor chamado Hiraemon Urabe, que ensinou no distrito de Kamizato Kamigawa, no início do período Edo (Séc. XVII), que diz o seguinte:
“Todas as técnicas de imobilização devem ser interpretadas como um galho de uma árvore vergado pelo vento.”
Por mais enigmático que possa soar, quanto mais nós treinamos hoje, mais entendemos o que aquele professor queria dizer. Mas não de primeira...
Ainda lembramos o quão esquisitas muitas das técnicas básicas pareciam quando primeiramente fomos apresentados as elas. Nossas mãos se emaranhavam no que nos pareciam manobras desajeitadas e nossa impressão inicial era algo como: “Nunca faria isso em uma situação real”. Mesmo assim nós continuávamos as repetindo na esperança de que logo aprenderíamos algo menos intrincado e mais prático. Apenas o nosso profundo respeito por nosso professor e o conhecimento de que uma “crítica técnica” seria considerado quase como um insulto ou um desafio nos impedia de tecer comentários desfavoráveis. No entanto, era isso que nos passava pela cabeça.
Enquanto esfolávamos nossos pulsos, rasgávamos nossos uniformes e pelejávamos para ignorar a dor dos vários hematomas, nós ponderávamos sobre o valor dos nossos esforços. Eu, ao contrário da maioria dos meus colegas de classe mais antigos, não descendia de família samurai. Ao que eu saiba, a única tradição antiga em nossa família era a arte de fabricar e vender armações de kotatsu (n.t. mesa de centro baixa com aquecimento para as pernas e pés dos que se sentam à volta e uma manta montada nas laterais para impedir a fuga do calor), o que dificilmente poderia ser chamado de tradição marcial. Assim, o meu “orgulho marcial” teve que ser construído desde o início. Minha admissão no Dojô fora facilitada (moral e financeiramente) por meu tio materno, que fora um adepto da esgrima por toda sua vida. Para não decepcioná-lo eu tinha que perseverar. Ainda mais que pertencer a um dojô humilde e obscuro não me dava o incentivo adicional de praticar alguma arte popular ou ser parte de alguma organização de grande visibilidade na mídia. Basicamente o suor desprendido e o sangue derramado (bastante do primeiro e, na verdade, muito pouco do segundo, para ser honesto) era valorizado apenas por mim e não havia nenhum sinal admiração pelo sacrifício nos olhos de meus colegas.
O que tudo isso teria a ver com osae-waza, vocês poderiam perguntar?
Bem, muita coisa, na verdade, pois a minha atitude em relação à técnica acabava sendo mais ritualística do que espiritual, mais mecânica do que instintiva. Daquilo que me era apresentado, eu aproveitava uma parte e descartava outras arbitrariamente. Eu ouvia, sem dar muita atenção, às breves explanações que eram fornecidas e aí repetia e repetia as técnicas, convencido de que meu parceiro caía apenas por estar sendo cooperativo ao mesmo tempo em que duvidava que ele, por sua vez, pudesse me subjulgar daquele modo e de que teria, provavelmente, que arrancar-lhe a orelha “a dentadas” para conseguir dominá-lo de verdade.
Então, como tão freqüentemente ocorre no treinamento de Budô, ocorreu algo que subitamente fez brilhar uma luz intensa onde antes só havia penumbra... em dois passos!
Enquanto aplicava uma técnica que terminava com uma imobilização, aplicando pressão a dois pontos diferentes do braço do meu parceiro, nosso professor ficou agitado e me chamou a atenção duramente.
Ele sacudiu a cabeça e veio até nós dizendo “Não, não. Essa maneira de executar a técnica é completamente inútil. Você não está fazendo nada porque não está enxergando nada. Seu oponente está livre. Desse jeito a sua técnica não está servindo para nada!”.
“Minha técnica?!”, eu pensei, “Estou apenas executando o que você nos ensinou! E meu oponente não está livre coisa nenhuma! Se estivesse, porque estaria batendo no tatame?”
Imediatamente, como se estivesse respondendo ao que passava pela cabeça, ele citou sobre enxergar cada imobilização como um galho vergado pelo vento. “Você consegue adivinhar quando o vento vai parar e o galho vai voltar à posição inicial?” ele perguntou. “Você deve manter em mente que isso pode acontecer. Você está apenas aplicado a imobilização e depois está tudo acabado na sua cabeça. Você não consegue enxergar além. Desse jeito não vale nada!”.
Não pude argumentar com o velho. Não sou muito versado em símbolos filosóficos, mas eu não estava mesmo tentando entender. No fim das contas, eu não pensava em aplicar qualquer coisa do treinamento em nada que fosse remotamente prático, assim eu não estava muito receptivo a muito do estava sendo dito, além do “faça desse jeito” e “faça daquele jeito”.
Apesar disso a frase ficou martelando na minha cabeça por alguma razão. Esse foi o primeiro passo.
O segundo passo ocorreu no hospital onde eu trabalhava, quando um dos pacientes ficou agressivo e nós fomos chamados para ajudar. Eu era o que estava mais perto dele, daí eu tentei agarrá-lo. Ele reagiu mal e tentou me atingir e eu acabei me vendo aplicar uma das nossas técnicas “desajeitadas” para levá-lo para baixo com o mínimo de dano.
E funcionou!
Melhor ainda, eu o tinha completamente imobilizado no solo! No entanto, algo faiscou na minha mente enquanto eu fazia isso. Não consigo me lembrar se eu o senti tentando reagir primeiro e depois pensei nisso. Ou se eu estava pensando na frase quando ele começou a revidar. Mas o fato é que ele não bateu no piso se rendendo e continuou ali. Ele se retorceu e lutou debaixo da minha imobilização, e tentou, do jeito que pôde, usar o resto de seus membros para me atingir...
O galho estava voltando à posição inicial!
E eu não simplesmente desliguei minha atenção quando eu apliquei a primeira imobilização. Houve alguma instintiva continuidade que não foi resultado de nenhum pensamento lógico e nem mesmo uma escolha consciente da minha parte. Não posso realmente dizer o que aconteceu em detalhes, mas eu apliquei uma segunda imobilização, uma mais complexa. Uma daquelas que eu estava certo de que nunca usaria. E essa também funcionou e deu tempo ao resto da equipe vir em meu auxílio.
Eu não tive absolutamente a mínima necessidade de morder a orelha de ninguém. Também não fui louvado como herói (ter que controlar pacientes não era uma ocorrência rara naquele hospital, e outros na equipe eram muito mais experientes e eficientes nisso do que eu). Não fui elogiado por ninguém e coisa toda durou apenas alguns segundos, apesar de, na minha mente de novato ter tido proporções épicas. Mas o valor do momento foi que eu finalmente entendera.
Eu tinha ouvido o termo zanshin ser repetido durante as aulas, mas nunca tinha realmente levado a sério. Agora eu tenho uma intuição disso aplicada às técnicas de imobilização. Como iniciante, toda a realidade do meu treino se condensou em um ponto e nada mais pareceu tão absurdo, tão sem-sentido ou tão arcaico novamente.
É claro que não foi nenhuma experiência de proporções épicas. Outros têm tido experiências de iluminação em situações de vida ou morte e chegaram à essência de suas respectivas artes assim como alguém que subitamente ouve o barulho do trovão logo após ter percebido o lampejo do raio à distância. Essa deve ser uma experiência gloriosa.
Mas, mesmo assim, isso abriu os meus olhos e, melhor ainda, abriu meu coração. Na minha aula seguinte, senti-me como se entrasse no Dojô pela primeira vez. O Dojô era o mesmo, assim como as técnicas. Era eu que estava diferente.
Ainda aprecio bastante essa lição, modesta como ela possa parecer aos ouvidos de outros.
Não há, na verdade, um ponto definido onde a técnica acaba, mesmo que pareçamos estar no controle. Uma lição simples, mas valiosa. Enquanto treinamos, devemos lembrar dela.
Hoje, eu treino com um espírito diferente. Não porque eu tenha envelhecido ou me tornado mais sábio, já que eu ainda corto meus dedos fatiando peixe (o que quer dizer que é muito mais seguro eu estar empunhado uma espada do que uma faca de sashimi) e ainda esqueço onde larguei meus óculos mesmo estando com eles assentados sobre minha cabeça, mas porque eu aprendi a apreciar aquilo que eu faço, aquilo que recebi de nossa escola. Tiro meu chapéu para o nosso professor por não ter perdido a paciência com um idiota como eu. Fico envergonhado quando penso sobre quantas vezes ele teve que repetir o mesmo conselho e em quanto tempo ele perdeu tentando me ensinar.
Hoje eu aplico aquele velho ditado a tudo na minha vida. Para estar preparado para tudo, pois não há garantias.
O vento pode cessar subitamente e o galho pode se endireitar a qualquer momento.
Sabendo disso e se preparando para isso sem ansiedade é também parte do treinamento. Controle absoluto é apenas uma ilusão temporária.
Nós tiramos vantagem do controle por um momento, mas no instante em que nos tornamos tão iludidos que o tomamos por certo e garantido, nós o perdemos. Na verdade, aprendo um pouco mais sobre isso a cada vez que praticamos osae-waza, e estou certo que de isso vale para todos.
Ainda não entendi tudo sobre isso, mas, felizmente, ainda há tempo... ou, quem sabe...

domingo, 26 de junho de 2011

DOJOS DE AIKIDO NO RIO DE JANEIRO

Quer encontrar um dojo de Aikido perto de você na cidade do Rio de Janeiro e em Niterói?
Abaixo, uma lista dos dojos existentes com seus professores responsáveis e informações de contato!

Pedimos que, caso as informações tenham mudado, nos ajudem a atualizá-las!
Arigato!

Rio de Janeiro:

Academia Central
Rua Cosme Velho, 60
Cosme Velho, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 3286-7304
Professor Responsável: Ricardo Lima, Tato Taborda
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

Academia da Faepol
Rua Marques de Pombal, 150
Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2288-0653
Professor Responsável: Márcio Fontes
Filiações: Aikikai, Confederação Brazil Aikikai

Academia Do Nelson
Rua Haddock Lobo, 227
Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2569-3222
Professor Responsável: Nelson de Miranda
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

Academia Forum Exere
Rua Uruguai, 162
Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2268-7225
Professor Responsável: Jo Tada
Filiações: Liga de Shodokan Aikido do Estado do Rio de Janeiro

Academia Nissei
Rua Cardoso Júnior, 16
Laranjeiras, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2558-1088
Professor Responsável: Pedro Paulo
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

Academia Physical Club
Rua Jaceguay, 50
Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2254-4251 / 2284-2781
Professor Responsável: Alexandre Salim
Filiações: Aikikai, FEBRAI

AMMA Dojo
Rua Visconde de Inhaúma, 134 sl. 225
Centro, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 9694-8069
Professor Responsável: Alvaro Carvalhaes
Filiações: Aikikai, Nippon Kan, Federação Francesa de Aikido

Arashi Dojo
Rua das Plameiras, 46 (Colégio Princesa Isabel)
Botafogo, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21)
Professor Responsável: Jun Igarashi
Filiações: Shodokan / LISAERJ

ARSA - Rio
Academia Pro Trainer Club
Rua Uruguai, 476
Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2572-4436
Professor Responsável:
Filiações: Shodokan

Associação Atlética Vila Isabel
Avenida 28 de Setembro, 160
Vila Isabel, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2288-0653
Professor Responsável: Márcio Fontes
Filiações: Aikikai, Confederação Brazil Aikikai

ABM - Associação Bosque Marapendi
Av. Afonso Arinos de Melo Franco, 393
Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 9111-3789 / (21)9601-3368
Professor Responsável: Marco Antonio Barcellos e Marcelo Knoff
Filiações: Aikikai , Dojos Shikanai

Associação Nikkei do Rio de Janeiro
Rua Cosme Velho, 1166
Cosme Velho, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2855-6901
Professor Responsável: Toshio Ikeda
Filiações: Aikikai, Confederação Brazil Aikikai

Botafogo Dojo
Rua São Clemente, 155 - Fundos
Botafogo, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 9215-7917 / 8768-8682
Professor Responsável: Ricardo Martins
Filiações: Aikikai

Centro de Treinamentos Artes Marciais
Rua 24 de Maio, 1321
Méier, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21)
Professor Responsável: Alvaro
Filiações: Yamabushi Aikido

Círculo de Aikido
Academia Shoto-kan
Rua Visconde de Pirajá, 585 sobreloja
Ipanema, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2259-4847
Professor Responsável: Luís Antônio Gentil
Filiações: Aikikai

Clube Militar - Sede Desportiva da Lagoa
Rua Jardim Botânico, 391
Jardim Botânico, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2527-4214
Professor Responsável: José Ortega
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

Dojo Guanumbi
Estrada do Guanumbi, 501
Freguesia de Jacarepagua, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 7831-6715
Professor Responsável: Luiz Peixoto de Siqueira Filho
Filiações: Aikikai, Confederação Brazil Aikikai

Fit Factory
Rua das Palmeiras, 66
Botafogo, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21)
Professor Responsável: Ricardo Martins
Filiações: Kojira Jyuko Kanie Dojos

Freguesia Dojo
Estrada dos Três Rios, 607
Freguesia / Jacarepagua, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 9215-7917 / 8768-8682
Professor Responsável: Ricardo Martins
Filiações: Kojira Jyuko Kanie Dojos

Ganseki Dojo
Rua Jurupari, 18
Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2578-4994
Professor Responsável: Walter Amorim
Filiações: Aikikai, União Sul Americana de Aikido

Goshin Aikido Renmei
Companhia Athletica
Avenida das Américas 5000, L 112 e 113, New York City Center - Barrashopping
Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2578-4994
Professor Responsável: Roberto Pereira Chrysóstomo
Filiações: Japan Aikido Association

Hikari Dojo
Rua Sorocaba, 258
Botafogo, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2262-3807
Professor Responsável: Sérgio Rabello
Filiações: Aikikai, Confederação Brazil Aikikai

Kitoji Dojo
Rua José Roberto, 88
Higienópolis, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 3836-2119 / 8860-6075
Professor Responsável: Marco Aurélio Costa
Filiações: Aikikai, Confederação Brazil Aikikai

Lúmini Espaço Art
Rua Almirante Ary Rongel,521
Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2437-7789
Site: http://aikidorio.com.br
Professor Responsável: Márcia Araújo do Carmo
Filiações: Aikikai, Confederação Brazil Aikikai

Nagare Dojo
Rua Mário Pigaribe, 26
Lins de Vasconcelos, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 3296-2888
Professor Responsável: Márcio Teixeira
Filiações: Aikikai, Nippon Kan, Federação Francesa de Aikido

Organização Alberto Ferreira - Centro de Artes Marciais
Rua 24 de Maio, 1321
Méier, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 3685-5876
Professor Responsável: Alberto Ferreira
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

Organização Alberto Ferreira
Associação dos Empregados do Comércio
Av. Rio Branco , 120 - 2º andar
Centro, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2508-6213
Professor Responsável: Alberto Ferreira
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

União de Artes Marciais
Novo Rio Country Clube
Av. Américas km 17,5
Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 9111-3789
Professor Responsável: Marco Antonio Barcellos
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

Yamato Dojo
Avenida Princesa Isabel 150, 5° andar
Copacabana, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (21) 2179-9814
Professor Responsável: Mauro Salgueiro
Filiações: Aikikai, Confederação Brazil Aikikai


Associação Nikkei do Rio de Janeiro
Rua Cosme Velho, 1166

Cosme Velho, Rio de Janeiro - RJ
http://www.nikkeirj.com.br/ 
Fone: (21) 2556-9010, (21)9635-7988
Professor Responsável: Claudio Lourenço
Filiações: Instituto Maruyama



Teresópolis

DAIKI DOJO
Telefone (21) 4042-8969
Endereço Av. Delfim Moreira 103 2º Andar
Bairro Varzea
CEP 25953-230
Email: daiki-dojo@uol.com.br
Website: daiki-dojo.zip.net
Instrutor Responsável: Marcos Alvaredo - shodan
Horarios de Funcionamento: Todo sábado das 9:00 às 12:00
Obs. O instrutor Marcos Alvaredo é praticante de Aikido há 20 anos e é o diretor de comunicações do Circulo de Aikido Leoni entidade que congrega os dojos subordinados ao mestre Luc Leoni..

Niterói:

Academia Aizen Niterói
Rua Lopes Trovão 117 - sobreloja
Icaraí, Niterói - RJ
Fone: (21) 2710-2319
Professor Responsável: Antonio Viana Araújo
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

Academia Marzullo
Rua Sete de Setembro, 81
Icaraí, Niterói - RJ
Fone: (21) 2714-4553
Professor Responsável: Gustavo Vidal
Filiações: Aikikai, Aikido Alberto Ferreira, Grupo Shikanai

Aikido Iwama
Master
Rua João Brasil, 186
Fonseca, Niterói - RJ
Fone: (21) 2625-1827
Professor Responsável: Alexandre Costa
Filiações: Iwama

Dojo Hajime Satori
Colégio Miraflores
Rua Otávio Kelly, 474
Icaraí, Niterói - RJ
Fone: (21) 2710-8189 / 8810-4323
Professor Responsável: Erika Mendonça
Filiações: Aikikai, Grupo Shikanai

Escola Meirelles de Aikido
Rua Santa Rosa, 207
Santa Rosa, Niterói - RJ
Fone: (21) 2715-9400
Professor Responsável: Sílvio Meirelles
Filiações: Aikikai, FEPAI

Seigan Dojo
Rua Dr. Paulo Cesar, 164 sala 201
Icaraí, Niterói - RJ
Fone: (21) 8712-4493
Professor Responsável: Carlos Cirto
Filiações: Aikikai, Confederação Brasil Aikikai

Shobu Aiki Dojo
Rua Visconde do Rio Branco, 701 (Clube Canto do Rio)
Centro, Niterói - RJ
Fone: (21) 9174-6566 / (21) 9955-4960
http://www.shobuaikiniteroi.com
Professor Responsável: Geraldo Luiz Garcia
Filiações: Aikikai, Confederação Brasil Aikikai

Aikido  Kohira Juku Kanie Dojo
Sensei Rene Bittencourt (Sandan)
Aikidô Tradicional, Jodô e Iaidô.
Kohirajuku Kanie Niterói
Centro Esportivo e Cultural La Salle
Rua Dr. Paulo César nº 107sala 112
Niterói - RJ. Tel.: 8700-1525
Supervisão - Yamada Yoshikazu Sensei
Shihan 7º Dan do Aichi Ken Aikido Renmei

Para encontrar Dojos em outros Estados do Brasil, favor acessar:
http://www.aikidobr.com.br/dojos/

sábado, 25 de junho de 2011

Seminário com Alexandre Bull em Niterói

Nos dias 10 e 11 de junho, tive o prazer de conhecer e treinar com Alexandre Bull, 4º Dan do Instituto Takemussu. Além de ser uma pessoa extremamente simples e gentil, Alexandre possui uma indiscutível técnica, fruto de seus nada mais, nada menos, 25 anos de treino. Vigorosa energia, extrema rapidez, inteligência marcial e postura impecável... Esses são os atributos que tornam Alexandre um exemplo de Aikidoca. É sempre muito bom , poder aprender com nossos companheiros dessa linda jornada chamada Aikido!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Clipe Dojo Guanumbi 2011


Não teria como deixar de prestigiar um amante tão dedicado da arte! Nós do Hajime Satori Dojo, desejamos ao Sensei Luiz Peixoto , responsável pelo Dojo Guanumbi, uma estrada plena de muito sucesso, harmonia e realização!